Saudades


Escrito por:  Pâmela Aracy

Saudade de um tempo não distante
De pessoas que não se foram
De rir por qualquer coisa, sem pensar
De chorar por nada mais ou simplesmente tudo
De cantar e dançar sem se preocupar com tom ou ritmo
De ser triste em parte, mas feliz em tudo
De ser a(o) heroí(na) de cada dia que adormecesse
De abraçar e dizer “Eu te Amo” sem barreiras
De dançar na chuva cintilando nos olhos sorridentes
De gritar e não me sentir tola(o) por isso
De falar de mim e não me sentir burra(o)
De ter responsabilidades não tão marcantes ou pesadas
De não me importar com o que é correto ou estúpido
De não me importar com o que é vendido ou comprado
De fingir ser pior do que sou, ou até melhor do que quero ser
De ser uma parte no “todo” que seja tudo na vida
De ser mais certa(o), mesmo estando errada(o)
De pedir perdão quando realmente quero ser perdoada(o)
De tudo aquilo que era ruim…
De tão ruim que me pego a sentir Saudade.

Pâmela Aracy

Advertisements

One thought on “Saudades

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s