Cigarros, luzes e fumaças



Eu escrevo o rumor das palavras” **

Do ser indomado

que dorme sozinho

O cigarro se queima

O cinzeiro limpo

O olhar distante

Frio se senta na cama

Está algemado

Onde a alma sofre

Faz a dor passar

O medo

Todo medo

Onde eu vejo o luar

Ela está lá

Com os pés sobre a areia

Só a cantar

O tempo passa

O cachorro vem

Anda

Pula

Fala

Sem nada a temer

O Sol já está lá

O calor acorda o frio

Sem tempo para pensar

O desenho que se faz

O meu ser está lá

Onde ela está?

Não sei.

Phelipe Di Amaral

** O primeiro verso que está entre aspas foi escrito por Manoel de Barros


Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s