NO LIGHT , NO LIGHT #5


#COMPARTILHANDO MÚSICA Nº5

[Esta música é interpretada pela vocalista premiada da banda indie  Florence + The Machine performance No Light, No Light de 2011 – Do segundo Álbum: Ceremonials, essa canção é muito bem executada e particularmente gosto muito de ouvir]

***

Sem Luz, sem Luz

Ela estava lá, olhando pela janela, tão silenciosa e fria , com os olhos tão maçante e cegos. Enfrente ainda à lembrança de sua última risada, seu último sorriso bonito. Todos estavam reunidos em torno dela, de cabeça baixa e os olhos se afogando em lágrimas, ela era apenas uma garota de quinze anos ou menos. Sentiu ali dentro, algo quebrar em seu peito, seu pequeno coração de menina, sua metade inocente estava prestes a morrer. Aquela garotinha estava agora morta e enterrada. Seu pai havia feito as malas e ido embora para sempre com um novo amor.  Ela não compreendia os motivos, sentia falta dele, mas nada o fez ficar por ali. Agora ela era nada além de uma casca de esquerda. Uma concha vazia. O pai se foi, ela tinha sido deixada sozinha. Seu herói , seu ídolo, seu exemplo, foi morto embora por outro amor. E dela nada sobrou, seu amor não foi o suficiente para fazê-lo ficar. E não havia nenhuma luz, nenhuma luz em seus olhos azuis brilhantes.

Então, sem brilho e sem ver , já não rindo. Seu pai tinha ido embora, e nesse momento, a luz deixou o mundo dela. Volte, papai volte ela gritou , balançando o corpo violentamente. Sua voz enlouquecida de dor. Mas não houve resposta, apenas o apaziguador vazio toque de sua mãe que disse  com a voz perdida e frágil – “ Ele se foi, somos só nos duas agora”. Ela estava sozinha . Ela foi quebrada e perturbada. Gritando, gritando , chorando, lamentando e gritando para ele voltar. Mas não havia mais nada a dizer, não havia ninguém para ouvir. Seu pai já embarcara para outra história, onde aquela garotinha não podia brincar por perto. Ela estava sozinha e não havia luz , nenhuma luz no mundo mais existia. O mar de preto marcou os anos, o vermelho de seus cabelos marcou como o sangue de suas feridas abertas no coração. Nenhum homem ali jamais habitou, todos seus amigos ela abandonou,  nunca mais sorriu para qualquer forma de amor. Mil sentimentos familiares a cercaram, e ela ainda não havia visto nada como aquilo. Em silencio, sua mente gritava em agonia e dor, enquanto observava a vida passar, crescia sem esperança, crescia sem amor. Com a cabeça inclinada para trás , ela se sentia desaparecer da face da terra, voava para onde sua mente pudesse descansar de suas revoltas, de suas lembranças. Com os olhos arregalados e cegos, ele olhava para o céu, e pensava, porque isso foi tirado de mim? Porque meu pai me abandonou. Deixe-me fazer isso direito! Traga-me de volta quem eu deveria ser! Deus me ajude, eu não posso ir mais longe! Eu quero me aventurar, quero sentir o amor me preenchendo. E na esteira de seus pensamentos e lagrimas caindo, as vezes soluçando desesperada, batia um silêncio ensurdecedor. Não havia luz , sem luz , por trás de seus olhos azuis brilhantes.

Não havia mais nada a dizer, nada para ser ouvido. A menina cresceu se tornou mulher, respeitada, conquistou impérios e exalava seu sucesso por onde passava. Mas ainda não havia palavras para a sua dor escondida. Era amarga e silenciosa, sua expressão era dolorida, em seu intimo queria sentir o amor, mas dos homens só extraia diversão, espalhava rastro de corações partidos. Era sua realização vê-los sofrer de tanto ama-la em vão. E ela não podia ver nada mais a desejar de sua vida, já sem esperanças de ser feliz. À noite, no frio, no escuro, coberto por sombras, ela ainda gritava de novo e de novo. Onde você está? Por que você me deixou? Isso tudo é culpa sua! Quando você vai voltar? Eu preciso de você. Cabeça baixa, olhos cegos, ela é forçada a admitir que não há solução para a sua situação. Seu pai havia feito uma escolha e nada o fez ficar, nada o faria voltar, seu tempo havia passado, estava se esgotando. Lágrimas rastrearam seu rosto quando ele finalmente se permitiu chorar por seu pai, seu herói, seu exemplo. Não há luz, sem luz , por trás de seus olhos azuis brilhantes.

Aniversário. A palavra torcida dentro dela. Completava vinte e sete  anos. Foram doze anos que passara perdida e sozinha. Trabalhando insanamente. Dança com a morte, destino tentador. Perseguindo qualquer revelação que pudesse ajudá-la, qualquer calor humano que significasse alguma coisa, mas nada fez diferença até aquele dia. Naquela tarde, enquanto esperava o motorista trazer o seu carro na volta para casa, ele a abordou, um amigo de infância que havia sido enterrado junto àquela menininha, entregou o envelope que caiu a poucos metros atrás e ela não havia percebido.  E sentiram algo familiar, sentiu que aquela alma poderia ter estado com ela durante toda sua vida, algo diferente que nunca sentiu no decorrer de sua existência ate aquele momento, que a assustou por um instante, mas a deixou feliz por ter acontecido. E à luz do dia, ela viu uma oportunidade de renovação. O homem gentil a convidando para um café, eles passaram o dia relembrando e rindo. Suas palavras golpearam violentamente – “Você não pode escolher o que fica e o que desaparece. Eu não pude escolher quando você me deixou” – ele disse com os olhos inundados e com lagrimas contidas. Ela finalmente chorou, seguido de risos de conforto por estarem próximos novamente. Os olhos azuis reconheceram os castanhos e se reencontraram. Entendimento atingiu os dois. Não havia mais nada a dizer. Vazio e oco. Foi assim que ela descreveu a si mesma. Como eles descreveram a si mesmos. Sentada em sua sala de estar. Outro aniversário foi e passado. As palavras não eram necessárias. Alguns dias eram piores do que outros. Alguns dias ela podia ver a luz. Outros eram marcados por trevas e brigas devido a falta de confiança nos homens que a assombrava. Ele e foi provando àqueles olhos azuis que tudo que mais queria era ficar para sempre por ali, era só ela deixar acontecer. Ele era sua parte favorita da vida, mas vez e outra, ainda assim , era tão difícil, tão difícil de dizer isso em voz alta e ela o magoava outra vez. Ele nunca desistiu, permaneceu, insistiu e entendeu, ele teve o mesmo problema. Intercambiável, é o que eles eram. A ligação tênue com a falta de quem amavam. Uma o pai, o outro a namorada, o primeiro amor de adolescente que nunca se esqueceu. E agora que estavam Juntos, eles se  reconstruíram e amaram mais uma vez. E houve luz , luz de novo em seus olhos azuis brilhantes.

Quinze anos , finalmente em meio a lágrimas , provações , tribulações e mudanças. Quinze anos se passaram após o maior desgosto de sua vida, até que deu a luz a sua primeira filha, fruto de seu primeiro amor. Naquele hospital, houve um gemido. Não era um gemido de dor. Mas de uma nova vida. Pela primeira vez em quinze anos, ela sorriu com alegria sincera. Quinze anos após o abandono de seu pai, seu herói. Ela começou a realmente se curar. Trouxe ao mundo sua esperança de ser feliz por completo, seu rosto cor de rosa e asneira , pequenos punhos acenando, era o seu bebê. E pela primeira vez, encontrou sua revelação , a sua resolução , e ela reencontrou a luz por trás de seus olhos azuis brilhantes.

“Eu vou fazer de tudo para você, pequena. ” Ela sussurrou para a filha.  – “Não importa o que você faça, eu sempre vou ficar por aqui” – Olhou agradecida para seu marido, que segurava sua mão, murmurou em voz baixa que os amava mais que tudo e jamais os deixaria.

                                                      

 
Sem luz, sem luz

Você é o buraco na minha cabeça

Você é o espaço na minha cama

Você é o silencio no meio

o que eu pensei e o que eu disse

Você é o medo noturno

Você é a manhã quando está claro

Quando acaba, você é o início

Você é minha cabeça, você é o meu coração

Sem luz, sem luz em seus olhos azuis brilhantes

Eu nunca pensei que a luz do dia pudesse ser tão violenta

Uma revelação à luz do dia

Você pode escolher o que permanece e o que desaparece

E eu faria qualquer coisa para você permanecer

Sem luz, sem luz

Sem Luz

Diga-me o que você quer que eu fale

Através da multidão eu estava

Gritando alto e

Em seu lugar, havia milhares de outros rostos

Vou desaparecer de vista

Céus, me ajudem

Eu preciso fazer isso direito

Você é a revelação

Você quer saber a verdade

E essa é uma conversa

Que eu não quero ter essa noite

Você quer uma revelação

Um tipo de resolução

Você é a revelação

Sem luz, sem luz em seus olhos azuis brilhantes

Eu nunca pensei que a luz do dia pudesse ser tão violenta

Uma revelação à luz do dia

Você pode escolher o que permanece e o que desaparece

E eu faria qualquer coisa para você permanecer

Sem luz, sem luz

Sem Luz

Diga-me o que você quer que eu fale

Você vai me deixaria

Se eu te contasse o que eu fiz?

Porque é tão fácil

Cantar para uma multidão

Mas é tão dificil, meu amor

Falar para você a sós

Sem luz, sem luz em seus olhos azuis brilhantes

Eu nunca pensei que a luz do dia pudesse ser tão violenta

Uma revelação à luz do dia

Você pode escolher o que permanece e o que desaparece

E eu faria qualquer coisa para você permanecer

Sem luz, sem luz

Sem Luz

Diga-me o que você quer que eu fale

Você é a revelação

Você quer saber a verdade

E essa é uma conversa

Que eu não quero ter essa noite

Você é a revelação

Um tipo de resolução

Diga-me o que você quer que eu fale

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s