STAR WARS: O Chamado de Rey


starwarts.jpg

Pela primeira vez sentiu aquele sentimento que tomou conta de todo o seu ser, era como se uma força invisível a empurrasse para frente, não queria ir, mas tinha a sensação de que tinha de ir em frente. A cada passo em direção daquilo que a chamava no final do corredor, não sabia o que era, mas sentia uma energia forte a atraí-la cada vez mais forte para aquele local.

Então ouviu uma voz a chamar seu nome e como um passe de mágica não estava mais naquele corredor vazio do bar de Maz Kanata, estava de volta a Jakku, então a sua frente via uma versão mais nova dela, juntamente, com seus pais prometendo que voltariam. Em outro piscar de olhos, estava em uma floresta nevando, em outro momento, via um sabre de luz vermelha em sua direção. E mais imagens foram sendo mostrados em sua mente até que voltou a si e não entendeu o que estava acontecendo, estava em frente a uma caixa, na qual descobriu haver um sabre luz que pertencia a Luke Skywalker, segundo Maz Kanata que estava a observar Rey caminhando em direção ao local onde o sabre de luz do último mestre Jedi se encontrava.

Rey não entendia o que estava acontecendo, apenas queria voltar para Jakku, pois já estava há muito tempo fora de casa e se alguém voltasse para procurá-la? Já estava muito tempo fora, precisava retornar. Porque aquelas lembranças e visões surgiam em sua cabeça? Porque não conseguia parar de segurar aquele sabre? Então olhou para Maz Kanata em busca de respostas, então disse que o sabre a chamava, que a força havia sido despertada, que estava a chamá-la. Mas queria ir embora, precisava esperar seus pais.

Maz Kanata, então olha para Rey e diz:

-O que procura não está lá atrás, e sim a sua frente. – disse a dona do bar observando a expressão da garota que não queria aceitar o inevitável, então concluiu dizendo que quem ela esperava talvez não voltasse mais, que poderiam ter encontrado o fim.

Rey não queria saber de sabre, não queria saber de força, não queria ver o que estava a sua frente, queria apenas voltar para Jakku, para sua rotina, para sua interminável espera, pois seguir em frente era admitir que não havia mais esperança, era destruir sua esperança, então largou o sabre de luz e correu para voltar para casa, era o fim de sua jornada com Han Solo, pelo menos era o que pensava naquele momento.

CENA DO FILME STAR WARS  VII: O DESPERTAR DA FORÇA

MUITAS VEZES O QUE PROCURAMOS ESTÁ BEM A NOSSA FRENTE, PORÉM LUTAMOS CONTRA OS FATOS, CONTRA A RAZÃO E TENTAMOS OLHAR PARA TRÁS, FICAR OBSERVANDO, ESPERANDO ALGO QUE NÃO TEM MAIS CHANCES DE MUDAR. TEMOS QUE TENTAR SEGUIR EM FRENTE, TEMOS QUE VER O QUE ESTÁ A NOSSA FRENTE, ACEITAR O CHAMADO PARA VIVERMOS!

OBS: A CENA DO FILME NÃO É REALMENTE DESSE JEITO, COMO FAZ UMAS DUAS SEMANAS QUE VI O FILME, ENTÃO DESCREVI DA MANEIRA COMO MINHA MENTE SE LEMBRA.

20/01/2016 ás 15:38

 

star.jpg

Advertisements

2 thoughts on “STAR WARS: O Chamado de Rey

    1. OI, me desculpa a demora para responder ao seu comentário, mas tive que me ausentar do blog nesses últimos meses, mas quero agradecer pela indicação ao Prêmio Dardos e gostei muito da indicação. E o Fênix Verde ainda não foi indicado, sendo sua indicação a primeira e estou feliz que goste do blog. Então o Fênix Verde está de volta e em breve farei o post sobre o Prêmio Dardos. Agradeço, um abraço e tenha um ótimo feriado por aí!

      Liked by 1 person

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s