A Loba / She Wolf


ENGLISH VERSION AVAILABLE HERE (OR BELOW)
texto

A loba tem uma alma velha, mas sempre livre. Segue procurando conforto na natureza de seu ser solitário e cheia de dificuldades de sobreviver a si mesma. Sente-se livre quando sente a luz do sol tocar sua pele e ouve o som do mar lutando com ondas sobre ondas batendo contra as rochas. Ela acredita que ninguém é melhor que o outro, mas sabe que entre ela e os outros, é ela que ama ferozmente, a devoção que mostra para quem ama é sua característica mais admirável. Sim, o amor é tão perigoso quanto ela acredita, apesar de tudo, acredita que o amor pode libertar.

A Loba não se sente nem em fúria nem arrebatada pela bondade. No momento em que ela percebeu que não era boa para correr em dupla novamente, ao mesmo tempo ela deseja se juntar a velhos sentimentos. Mas, se mantém firme e  faz o que os lobos fazem melhor. Ela faz o seu dever para a honra e mantém a si mesma dentro de sua própria mente .

E ela se lembra, (o amor é perigoso).

Muitos a julgam, querem saber seus segredos, pintam-na por uma imagem perversa e devassa. E ela tem que mentir, continuar sorrindo, fazendo-se de curiosa. E é através do distanciamento que a loba cria de tudo e todos que se torna ainda mais eficaz sua imagem de frieza. Ela é consistente em sua mentira, perdura e nunca mostra seus sentimentos verdadeiros.

 (Talvez ela não seja indiferente. Talvez ela se esconda atrás de uma máscara)

A loba encontra sua liberdade na solidão. Ela passa seus dias lendo sobre equitação, música e sua idéia de lar, fazendo planos para seu futuro só. A distancia do mundo é o que torna sua história fascinante e ela, por vezes, vai de encontro com seus fantasmas, justamente quando se perde de si mesma. Em uma dessas ocasiões, descobre que  pode não estar sozinha na tristeza. Mesmo assim, ela faz o seu dever, apesar de tudo. Ela não freqüenta festas ou qualquer outra coisa que a faça desviar de suas responsabilidades e corajosamente ignora os sussurros de seus mais profundos desejos secretos. Quando o mundo cai no sono, a loba corre maratonas em sua própria mente. Tentando evitar as asas do sono que a levarão a uma ressaca química no dia seguinte.

”Como você agüenta?”

Silenciosamente ela corre e corre para bem longe daquilo que não pode mudar, porque desta vez é ela que está com medo. O olhar de medo está escondido, mesmo antes que possa plenamente aparecer, apesar de tudo.

Ele está sentado sobre a pedra fria com uma garrafa na mão. Sua pele é pálida, mas, sente o vermelho atrás de seus olhos, por baixo de sua pelagem encontra-se uma alma perdida

(é como olhar para um espelho).

A dor dessa loba. Como desligá-la? Ela perdeu tanto pelo caminho, para a vida e para a morte. Mas, nunca diz uma palavra. Embora tenha todas as regras da lua e todo o mundo sonha em um verão perfeito que nunca acabará, em um de seus porões à milhares e milhares de metros em uma profundidade colossal dentro dela, algo que nunca fez antes, ainda permanece intacta. Ela passa finais de semana inteiros em silencio, a loba está sempre em pé e nunca descansa.

Durante toda a semana, o mundo aprende e ela só se lembra ( amor é perigoso ).

Por vezes não se sente apta para governar a si mesma e perde a sensação de segurar-se nas responsabilidades e a batalha diária de rebater o inimigo. Um copo cheio ela bebe mais e mais a cada dia que passa e começa a se preocupar quanto tempo ainda tem por aqui. O quanto seu coração ainda irá bater. No privar de suas paredes, ela se sente um monstro entrando em colapso.

De alguma forma, vez em outra, alguém encontra conforto nessa presença de loba. Mas, ela ainda procura uma razão nisso, talvez nunca encontre. Injustamente consciente ela segue fazendo seu dever.

Pouco a pouco, se faz decifrável a rotina da loba. Mas, ela permanece cada vez mais em um mistério ainda maior do que antes. Ela observa suas pontas e as esconde com nós indestrutíveis, demonstrando apenas as pontas que decide mostrar. Guarda-se, mas, ninguém percebe. Eles nunca falam, mas isso os incomoda, querem questioná-la saber mais para justificar seu comportamento sombrio. Por vezes, ela não sai de seus aposentos sem sua armadura impenetrável. Ela que ser livre dentro da prisão que  criou para si. Sua voz é firme, calma, meiga e às vezes sim, muito fria.

” Quando foi a última vez que você dormiu bem?”

” Quando foi a última vez que foi beijada com amor? ”

” Eu- eu não sei. ” ( Desde que cansei do amor… )

”Você parece cansada. Você deve ir para o seu quarto. ”

” Eu não posso fazer isso. Tenho meu dever ”

(Passarinhos na gaiola cantam canções bastante preocupantes).

A Loba não se importa o suficiente sobre quem não importa para ela (meio egoísta). Ela é apaixonada por cheiros, o calor  nos olhos sinceros das pessoas e lealdade. Ainda assim, está a perder um pouco de si mesma a cada dia em que acorda. Ela não ora, não mais, porque perdeu seu direito à proteção divina e deixou de viver a mercê dos seus pedidos não atendidos.

Ela não quer um herdeiro. Passa os dias de sua existência fazendo  seu dever apenas. Sangra e sangra por alguém que a proteja, mas, no fundo sabe que irá afastar a todos como sempre faz. Ela é segura por si só tem que se fazer forte para o que vier.

 ”Eu te amo.”

 (Um dia esse sorriso se apagará de meu rosto, caminho direto para o fim )

” Eu não espero que você entenda. ”

 (O amor é perigoso. Eu me lembro bem. )

Ela acredita que aqueles que se sentem de alguma forma traumatizados pelo passado não são compreendidos pelo mundo.  Às vezes, viajando em seus próprios pensamentos ela entende que amar a tudo e a todos é ser vulnerável, te torna fraca e desprotegida. Seu coração provavelmente vai ser esmagado por alguém ou o coração de alguém acabará devorado por sua incapacidade de confiar no amor. Se você quiser  manter-se intacta, não deve dá-lo a ninguém.

E apesar de entender o quão perigoso é o amor, ela sabe que não pode ir contra ele, nem mesmo para um animal. Ainda que cansada na cama, depois de todos esses anos, sua rotina nunca muda. Ela volta depois de andar por séculos e garante que seu dever seja feito dia após dia.

pamelabottompost

PROMPT WORD: TIMELY

text.jpg

The she wolf has an old soul, but always free. She pursues seeking comfort in the nature of her solitary being and she is full of difficulties to survive herself. Feel free when she feels the sunlight touching her skin and hears the sound of the sea struggling with waves crashing against the rocks. She believes that no one is better than the other, but she knows that between her and the others, she is the one who loves ferociously, the devotion that she shows to those she loves is her most admirable characteristic. Yes, love is as dangerous as she believes, after all, she believes that love can free.

The she wolf does not feel neither anger nor exhilarated by kindness. By the time, she realized that she was not good at running in double again, at the same time she wanted to join old feelings. But she stands strong and do what the wolves do best. She does her duty to honor and keeps herself within her own mind.

And she remembers, love is dangerous.

Many people judge her, they want to know her secrets, painting her like a perverse and vicious image. And she has to lie, keep smiling, making herself curious. And it is through distance that the she wolf creates between her and everything and everyone that becomes even more effective her image of coldness. She is consistent in her lie and never shows her true feelings.

 (Maybe she’s not indifferent. Maybe she’s hiding behind a mask)

The she wolf finds her freedom in solitude. She spends her days reading about riding, music and her idea of home, making plans for her future alone. The distance from the world is what makes her story fascinating and she sometimes meets her ghosts, just when she loses herself. On one of these occasions, she discovers that she may not be alone in sorrow. Even so, she does her duty, though. She does not go to the parties or anything else that distracts her from her responsibilities and boldly ignores the whispers of her deepest secret desires. When the world fallsy asleep, the she wolf runs marathons in her own mind. Trying to avoid the wings of sleep that will lead her to a chemical hangover the next day.

“How are you still standing?”

Silently she runs and runs away from what she can not change, because this time she is afraid. The look of fear is hidden, even before it can fully appear, though.

He is sitting on the cold stone with a bottle in his hand. His skin is pale, but he feels the red behind his eyes, beneath his skin lies a lost soul

It ‘s like looking at a mirror.

The pain of this she-wolf. How to turn it off? She lost so much by the way, for life and for death. But never say a word. Although she has all the rules of the moon. Everyone dreams of a perfect summer that will never end, in one of her basements, thousands and thousands miles away in a colossal depth inside her, something that has never done before still remains intact. She spends entire weekends in silence, the she wolf is always on her feet and never rests.

Throughout the week, the world learns and she only remembers “love is dangerous”.

Sometimes you do not feel able to govern yourself and you lose the sense of holding on to the responsibilities and the daily battle of fighting agaist the enemy. She drinks a full glass of wine more and more with each passing day and begins to worry about how much time she still has around here. How much her heart will still beat. In depriving her of her walls, she feels like a monster collapsing.

Somehow, over and over, someone finds comfort in this she-wolf presence. But she still looks for a reason in that, maybe she’ll never find. Unwittingly conscious, she continues to do her duty.

Little by little, the she-wolf’s routine becomes decipherable. But she remains more and more in a mystery even greater than before.

He observes his tips and hides them with indestructible knots, showing only the tips he chooses to show. He guards himself, but no one notices. They never speak, but this bothers them, he wants to question her to know more to justify her somber behavior.

Sometimes she does not leave her rooms without her impenetrable armor. She wants to be free within the prison she has created for herself. Her voice is firm, calm, sweet and sometimes very cold.

“When was the last time you slept well?”

” When was the last time you were kissed with love? ”

” I- I do not know. ” (Since I’ve got tired of love …)

” You look tired. You should go to your bedroom. ”

” I can not do it. I have my duty ”

( birdies in the cage sing songs of great concern)

The she wolf does not care enough about who does not care for her (half selfish). She is passionate about smells, the warmth in people’s sincere eyes and loyalty. Still, she’s losing a little of herself every day that she wakes up. She no longer prays, because she has lost her right to divine protection and she has ceased to live at the mercy of her unanswered requests.

She does not want an heir. She spends the days of her existence doing her duty only. She bleeds for someone that protect her, but deep down she knows she will drive them away as she always does. She is safe by herself, she has to make herself strong for what comes.

 ”I love you.”

(One day that smile will be erased from my face, straight to the end)

”I do not expect you to understand”.

 Love is dangerous, I remember well.

She believes that those who feel somehow traumatized by the past are not understood by the world. Sometimes traveling in her own thoughts she understands that loving everyone and everything is being vulnerable, this makes you weak and unprotected. Your heart will probably be crushed by someone or someone’s heart will eventually be devoured by their inability to trust in love. If you want to keep yourself intact, you should not give your love to anyone.

And though she understands how dangerous love is, she knows she can not go against him, not even for an animal. Although tired in bed, after all these years, her routine never changes. She returns after walking for centuries and ensures that her duty is done day after day.

pamelabottompost226/12/2016 às 17:00

20/03

Advertisements

3 thoughts on “A Loba / She Wolf

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s