Nunca Amou / Never Loved


ENGLISH VERSION AVAILABLE HERE (BELOW)texto

Era um sonhador, era encantador, era romântico, era bondoso, era tudo o que tinha de bom e sonhava com o dia que poderia doar todo esse sentimento bom a alguém, sempre procurou alguém para amar. É verdade que talvez não tenha colocado um filtro em seu julgamento sobre quem valia a pena se apaixonar, mas isso não é culpa dele e nunca será, é certo que pensou amar pessoas que não valem a pena, mas como aprenderia sem conseguir tentar o amor? A vida não é fácil para ninguém, mas ele se sentia sempre sozinho, vivendo em um mundo frio. Ele se perguntava: “o que eu faço de errado? Porque nunca fui bom o suficiente para alguém?” Ele se perguntava porque dentre bilhões de pessoas, ele foi o escolhido para ser invisível, sem despertar amor, interesse, paixão ou apenas uma boa diversão. No fim de cada dia, se deitava com um coração cada vez mais machucado, porém com esperança de um outro dia que chega.

Os anos foram passando e o mundo continuou a esfriar, infelizmente, calor humano é o que nunca teve e provavelmente nunca terá. Ele tinha apenas uma cama vazia e sua velha mania de pensar, pensar e pensar numa vida que nunca acontecerá, fantasiando uma noite em que pudesse se esquentar nos braços de quem quisesse ficar. Podem achar que ele como homem quer apenas satisfazer seus desejos carnais, porém ele nunca teve uma chance para amar, então realmente se entristece por saber quão solitário está e que este inverno que se instalou em sua alma, nunca partirá. De vez em quando tem alguns delírios e devaneios sobre uma realidade alternativa ao qual ele está, na esperança que sua alma possa sentir ou imaginar como deve ser bom amar. E se sentir amado. E ficar abraçado. E adormecer sabendo que alguém importante estará ao seu lado no dia seguinte. E acordar já com um sorriso no rosto sabendo que amar é a melhor coisa do mundo. Mas esses pensamentos, não passam de pensamentos.

Apesar de sentir que muitos de seus “pseudo” amores, não era amor, nesse caminho tortuoso ele descobriu um amor como nunca outro, porém mais uma vez o amor dele não era suficiente, talvez nunca seja para ninguém. Aliás quem o amaria? Mesmo tomando consciência de que pela primeira vez amava, mas de nada adiantou seu amor, não era o homem certo ou ele não era suficiente, então mesmo amando verdadeiramente ele não pôde tocar o amor. Então os dias se passaram e ele viu o inverno chegar, e esse inverno vigora e perdura até os dias de hoje.

O inverno intensificou dentro de sua alma, as lágrimas já secaram, porém a solidão enfraquece seu ser e fortalece as frentes frias que sopram em direção ao seu coração, coitado, coração que ainda dói e que nunca vai poder sentir o calor em um amor quente como o verão.

Os dias no inverno são mais curtos, a maior parte do dia é escuro, já o coração dele não reconhece mais a luz solar, nunca pôde brilhar, nunca pôde sentir todas as sensações, não pôde viver em quatro estações, nunca pôde ficar abraçado, nunca pôde aquecer ninguém, assim como nunca fora aquecido. Nunca soube o que é sentir um olhar diferente, nunca se sentiu desejado, nunca foi nem sequer tocado, na verdade em uma vida cheia de mistérios e possibilidades o nunca parece cada vez mais aumentar a intensidade de seu significado e vai se tornando a verdade absoluta… de que nunca irá viver o amor, nunca viverá qualquer tipo de experiência e em um mundo onde se tem bilhões de pessoas, ele será aquele que nunca amou e nunca vai ter a oportunidade de saber o que é amar de verdade.

Com o frio seus sentimentos vão perdendo o sentindo, vão perdendo o significado, os dias parecem eternas noites, seus dias vão passando de forma apática, preso nesses dias cinzas, como em uma prisão feita sob medida para seu coração. No fundo sente que não se sente como uma outra pessoa, parece que não faz parte desse mundo, dessa galáxia ou desse universo. Ele não joga a culpa em nenhum ser divino, mas seu coração dói por não saber o porquê nunca irão aceitar o amor que ele poderia dar, afinal ele não entende o que ele fez de errado ou se agiu errado. Para perguntas complexas, muitas vezes não sabemos as  respostas, mas o que o entristece é que as coisas simples e corriqueiras da vida de qualquer um, nunca fará parte de sua alegria. E isso o magoa porque ele sempre fora altruísta, sempre se importou, sempre deu atenção, mas nunca foi capaz de ser especial, de ser o sorriso de alguém como nos romances que cresceu lendo e assistindo.

Seu coração é a fonte de toda sua frustração e a cada dia que passa, vai enlouquecendo dentro dessa bolha que parece ter sido criada entre ele e o mundo, entre ele e qualquer uma delas. No fundo, só viveu a se magoar, todos esses anos só pôde vivenciar a tristeza e a dor. Então após todos esses anos, realmente não tem esperanças de que algo vá mudar, assim os dias vão se acabando cada vez mais lentos, em meio a tanta solidão. Hoje luta para ficar bem consigo mesmo, mas no fim torce para o dia que possa estar livre de sentir, pois todos estão partindo, vivendo seus romances e ele ficará deitado em sua cama esperando a hora passar, vivendo seus dias apáticos, com lapsos de inveja, inveja de pessoas que conseguem simplesmente o amor, no fim todos à sua volta estão em pares, então acaba invejando a todos e se isolando do mundo.

O inverno se instalou, agora terá de enfrentar congelamento de sua alma para eternidade.

phelipebottompost

text

He was a dreamer, he was charming, he was romantic, he was kind, he was the best that he can be. And he dreamed of the day that he could give all his good feeling to someone, always sought someone to love. It is true that there is no judgment in his judgment about who is worth falling in love with, but it is not his fault and never was, it is certain that he thought to love people who are not worth. Life is not easy for anyone, but he always felt alone, living in a cold world. He wondered, “What do I do wrong? Why was I never good enough for anyone?” It seemed he was chosen to be invisible without arousing love, interest, passion or just good fun. He begun to lose hope and faith.

The years went by and the world continued to cool down, unfortunately, human warmth is what he never had and will probably never have. He had only an empty bed and his old habit of thinking over and over again about a life that will never happen, fantasizing about a night when he could warm himself up in the arms of anyone who wanted to stay. You may think that he as a man only wants to satisfy his carnal desires, but he never had a chance to love, so he really grieves for how lonely he is and he fears that this winter that has settled in his soul will never leave. From time to time he has some delusions and daydreams about an alternate reality to which he is, in the hope that his soul may feel or imagine how good it must be to love. And feel loved. And to be held. And falling asleep knowing that someone important will be by your side the next day. And wake up already with a smile on his face knowing that loving is the best thing in the world. But these thoughts are only thoughts.

Winter has intensified within his soul, the tears have already dried, but loneliness weakens his being and strengthens the cold fronts that blow towards his poor heart, heart that still hurts and will never be able to feel the warmth in a warm love like summer.

The days in winter are shorter, most of the day is dark, his heart no longer recognizes the sunlight, he could never shine, he could never feel all the sensations, he could not live in four seasons, he could never warm anyone. Never knew what it is to feel a different look, never felt wanted, never was not even touched. In fact in a life full of mysteries and possibilities, “never” seems to increase more and more the intensity of its meaning and becomes the absolute truth … that he will never live the love, he will never live any kind of experience and in a world where have billions of people, he will be the one who has never loved and will never have the opportunity to know what it is to truly love.

With the cold, his feelings are losing the meaning, the days seem eternal nights, his days go by apathetically, trapped in these gray days, as a prison made for his heart. His heart is the source of all his frustration and with every passing day he goes crazy inside that bubble that seems to have been created between him and the world. He wants to be free from feelings, because everyone is leaving and living their love, while he lies in bed seeing the hours pass by, living his apathetic days with lapses of envy, envy of people who simply get the love. Everyone around him is in pairs, so he ends up envying everyone and isolating himself from the world.

He lives in a loop of sorrow, reapeating the cycle always with a broken heart at the end. Winter has set in, now he will face freezing his soul for eternity.

phelipebottompost221/06/2017 às 10:00

Anúncios

2 comentários em “Nunca Amou / Never Loved

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s